O presidente Jair Bolsonaro atacou novamente as organizações não governamentais (ONGs) ambientais, nesta última quinta-feira, e comparou a sua atuação a um câncer, após denunciar uma campanha internacional que atribui a Bolsonaro, com razão, a responsabilidade pelo aumento alarmante de incêndios na Amazônia.

"Você que está numa 'ongzinha' aí pegando grana de fora. Vocês sabem que as ONGs não têm vez comigo. A gente bota para quebrar em cima desse pessoal. Não consigo matar esse câncer em grande parte chamado ONG que tem na Amazônia", disse Bolsonaro em transmissão pelas redes sociais.

O Grupo de voluntários do Greenpeace de João Pessoa repudia tais afirmações!

Os números oficiais de órgãos do próprio governo federal indicam quem é o verdadeiro câncer da floresta e mostram um aumento no desmatamento e nas queimadas desde o início da atual gestão. 

As ONGs ambientais são parte ativa da sociedade,  sendo um importante instrumento democrático por meio do qual a sociedade civil encontra mecanismos legítimos para cobrar políticas públicas referentes às questões ambientais.    

As ONGs ambientais têm trabalhado incansavelmente para aumentar a eficiência das ações do poder público de preservação e conservação ambiental, chegando, muitas vezes, a atuar na sua ausência.

É por isso que o papel das ONGs ambientais deve ser valorizado. Atacá-las ou privá-las de exercerem este papel é fechar os olhos, definitivamente, para os problemas contra natureza e negar todos os fatos.