Arara Azul - Greenpeace Fortaleza

Paulo Ricardo Schneider • 16 Maio 2021

Você sabia que as araras são aves conhecidas por viverem muito? Elas vivem por volta de uns incríveis 40 anos. São psitacídeos igual aos papagaios.
As “araras-azuis” atuais são quase, em exclusividade brasileiras, pois duas espécies: A. leari e Cyanopsitta spixii, são endêmicas (só são encontradas) no Brasil. A arara-azul A. hyacinthinus tem a maior população no Brasil, sendo que foi praticamente extinta no Paraguai e Bolívia, mas já sendo encontrada neste último.

Foto: Rodolfo Rodrigo

Elas são aves altamente traficadas, devido a sua beleza, longevidade e tranquilidade, o que influenciou muito a chegar no patamar de extinção que estão hoje.

Também há o fator habitat que é considerado muito importante para a espécie, já que 95% dos ninhos são feitos em Manduvi, uma árvore do pantanal muito ameaçada de extinção pela pecuária. Então daí elas também já perdem muito do seu habitat natural.
A arara-azul é considerada uma espécie guarda-chuva, isso se deve pelo fato dela ser usada como espécie foco para ajudar a preservar também outras espécies.
É muito difícil a  preservação de sua espécie, já que eles só têm um filhote a cada dois anos. 
O Greenpeace Fortaleza se esforça para que essas e muitas outras espécies ameaçadas, sejam devidamente preservadas e contamos com você! 

📸 - Rodolfo Rodrigo/Greenpeace Fortaleza

#GreenpeaceFortaleza #GreenpeaceBrasil #araraazul #projetoararaazul