No Dia Internacional da Mulher, voluntárias abrem o coração e falam sobre engajamento na luta ambiental

Luana Leal Greenpeace Brasil • 12 Março 2021

Fala, galera! Como vocês estão?

Sextou! E pra entrar no fim de semana com várias dicas ótimas e receitinhas gostosas, vem ver o que nossos voluntas aprontaram na última semana:

Diante de tantas mobilizações em decorrência de um dos dias mais simbólicos de resistência e luta, não teria nem como o Dia Internacional da Mulher não ser o destaque da semana. 

É o dia em que queremos homenagear aquelas que historicamente já nascem sob a condição de luta. Lutam porque precisam para conquistar lugar e espaço que lhes é de direito em uma sociedade que ainda paga salários maiores para os homens, que os coloca em grande maioria nos lugares de tomada de decisão e poder, e que entre tantas outras estruturas solidificadas também são as que pagam o maior preço da #criseclimática. Sabia que 80% das pessoas que precisam deixar suas casas por conta de eventos extremos são mulheres?

Este é um preço que ficou ainda mais caro com a pandemia, trazendo uma sobrecarga que escancara o quanto a luta ainda está longe de ser vencida. O direito da mulher precisa ser respeitado por todas, todes e todos para que ele então de fato exista.

E é claro que nossos grupos locais encheram as redes com rostos e depoimentos femininos. Vem ver tudo: 

Bertioga 

O grupo compartilhou um pequeno vídeo, produzido pelo Greenpeace Brasil, que dizia que as mulheres são as mais afetadas pela crise climática, e somente com a igualdade de gênero alcançaremos a justiça que desejamos. 
 

Belo Horizonte

“Ser mulher é ter a coragem de lutar por nós mesmas e pelo mundo. ❤

Hoje, dia 8 de Março, é Dia Internacional Das Mulheres e nós prestamos nossa homenagem para todas as mulheres que impactam positivamente o planeta.

Agradecemos por todas as ações e mobilizações pensadas por mulheres e feitas por elas. Seguimos juntas nessa causa que é social e ambiental.

Por fim, um enorme obrigado por todo trabalho e planejamento da equipe de Comunicação do Greenpeace Belo Horizonte que é inteiramente composta por mulheres”.

Porto Alegre 

“Feliz dia da mulher, em especial para as nossas ativistas!”

 

João Pessoa 

“Ser mulher é nascer guerreira por natureza!

Ser mulher é ser resistência contra tudo que fere a sua existência. Ser mulher é viver lutando para conquistar os seus direitos. Ser mulher é defender lugares e espaços que são seus. Ser mulher é enfrentar batalhas todos os dias. Ser mulher é lutar contra preconceitos, desigualdades e violências na sociedade.

E ser mulher e ser ativista de causas ambientais é ainda mais desafiador.

Neste dia, portanto, queremos homenagear de forma especial todas as mulheres, principalmente aquelas que nunca deixam de acreditar na própria força e lutam para transformar o mundo em um lugar melhor, vocês são inspiradoras.

Continuem lutando e se apoiando... Não há limites para o que vocês podem fazer e nem para serem o que quiserem ser!”

Fortaleza

“8 de Março é dia de luta e resistência!

E que bom é poder contar com elas, nossas Guerreiras do Arco-íris! ✊🌈

Na foto, algumas das nossas voluntárias, representando todas as nossas integrantes, por quem temos muita gratidão por nos ajudar a salvar o planeta 🌍”.

Macapá 

“Hoje é o Dia Internacional da Mulher, e nós, ativistas de Macapá, consideramos que a justiça climática não pode existir sem a justiça de gênero.

Devido a combinação de fatores socioeconômicos e culturais, as mulheres muitas vezes são as mais afetadas pela devastação do meio ambiente. Isso acontece porque estamos mais suscetíveis a viver em condições de menor autonomia socioeconômica, o que por consequência gera maiores dificuldades para nos recuperarmos de situações extremas como desastres naturais.

Ainda há um longo caminho a se percorrer para alcançarmos a tão sonhada equidade de gênero, para isso, estamos criando alternativas para melhorar a qualidade de vida das mulheres dentro e fora do ativismo, garantindo que outros âmbitos que envolvem a nossa sociedade, como o meio ambiente, recebam os benefícios desta conquista de forma mútua e que o processo deste caminhar, possa abraçar a todes dentro dos limites do planeta.”

Vale do Itajaí 

 

Belém 

“Hoje, 8 de março - Dia Internacional da Mulher, homenageamos nossas voluntárias ativistas na causa socioambiental na Amazônia.

Nosso time é composto por muitas mulheres, na facilitação, na coordenação dos grupos de trabalho, na elaboração de atividades, no preparo prático das ações, nos grupos de estudos, nas parcerias externas. São mulheres diversas, todas com histórias singulares, se apoiando e ocupando espaços de poder.

do Grupo de voluntário do Greenpeace de Belém, temos orgulho de um grupo construído por mãos de mulheres nortistas com sangue cabano.

Nesta data tão importante, não podemos deixar de agradecer a todas que fizeram da luta o seu caminho.”

Manaus

“Sabemos que ser mulher já é uma forma de ser ativista por natureza e que essa luta está presente no dia a dia. Agradecemos pela garra de todes que lutam contra preconceitos e desigualdades na sociedade.

Crédito: Desenho - Mulher Trans: @nimbusdesenios

Goiânia 

Nesse grupo a mobilização foi dupla. Pra começar, teve vídeo da voluntária Jacque dando seu depoimento como mulher ativista:

E também teve texto com fotos homenageando todas as outras mulheres envolvidas no voluntariado local: 

“No dia 8 de março é celebrado o Dia Internacional da Mulher e nós do Grupo de Voluntários do Greenpeace Goiânia resolvemos homenagear nossas voluntárias que lutam para conscientizar a população geral sobre a importância do meio ambiente.

Parabéns a vocês que fazem a diferença, que lutam pelo que acreditam, que mesmo com as coisas dando errado não perdem a esperança!

Terminamos com duas estrofes de um poema do Bráulio Bessa:

“Que todo dia seja dia de tu ser admirada pela força, pela garra, pela coragem estampada de ser verdadeira e justa mesmo sendo injustiçada.

(...) que todo dia seja dia de não ter a voz calada e se alguém ousar calar, que essa voz seja elevada. Que todo dia seja o dia da mulher ser respeitada”. 

03/03 - Dia Internacional da Vida Selvagem 

O Dia Mundial da Vida Selvagem, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2013, é mais uma das datas em que devemos reconhecer os esforços de conservação da biodiversidade global e toda luta pela conscientização sobre o uso consciente dos recursos naturais.

Dados da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) mostram que mais de 35.500 espécies estão ameaçadas de extinção no momento, o que também pode ser um risco para nós seres humanos.

A data é uma homenagem ao mesmo dia do ano de 1973, quando foi assinada a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas (CITIES).

Segundo a ONU, para sustentar toda a vida da Terra é necessário conservar plantas, animais, ecossistemas e utilizar a herança do planeta de forma responsável. Necessitamos de outras espécies animais e vegetais para nossa sobrevivência!

E para levar esse tanto de informação importante sobre a data para o maior número de pessoas possível, os grupos de Salvador e João Pessoa, ainda em formação, fizeram posts: 

Salvador

João Pessoa 

05/05 - A conservação da vida selvagem em áreas urbanas 

O grupo de João Pessoa, ainda em formação, organizou um bate papo com a voluntária Tamires Amorim e o voluntário Thallys Araújo, que é também membro do comitê científico da Associação Guajiru @tartarugas_urbanas, para falar sobre a importância da vida selvagem <3

O bate papo foi mediado pelo voluntário Ruan Navarro, bacharelando em Ciências Biológicas na UFPB.

Pegando o gancho no Dia Internacional da Mulher, o grupo de Belo Horizonte falou sobre um tema importantíssimo e que vem ganhando muita visibilidade nos últimos tempos. Você sabe o que é ecofeminismo?

Ecofeminismo é uma vertente dentro do movimento feminista que associa a luta por igualdade de gênero e pelos direitos das mulheres ao movimento ecológico. Segundo a ONU (Organização Das Nações Unidas), as mulheres são as mais afetadas com a devastação ambiental causada por ações humanas.

Cerca de 80% das pessoas que são obrigadas a deixar seus lares como consequência das mudanças climáticas são mulheres. Isso acontece porque elas têm maior probabilidade de viver em condições de pobreza e menor poder socioeconômico, decorrente da desigualdade no mercado de trabalho.

Embora sejam as mais afetadas, as mulheres são as que menos têm responsabilidade na devastação do meio ambiente. Muitas mulheres decidiram tomar a frente pela defesa tanto de seus corpos como do ambiente que as rodeia, isso porque enxergam uma raiz em comum entre as causas da destruição do meio ambiente e a inferiorização da mulher, assim, ao lutar contra esse sistema poderiam conseguir melhores condições para todos. 

Esse termo surgiu nos anos 70 com a feminista francesa Françoise d’Eaubonne para explicar como a luta pelos direitos das mulheres está relacionada com as reivindicações por um mundo mais sustentável e, naquele momento, d’Eaubonne defendia questões como o direito ao controle de natalidade, argumentando que a superpopulação do planeta que já começava a ameaçar o meio ambiente era fruto da insistência do patriarcado em controlar os corpos das mulheres.

Continuamos juntas na luta por igualdade, por nossos direitos e por um planeta melhor. <3

E falando em palavras que juntas significam algo ainda mais interessante, você já ouviu falar em bioeconomia? 

Se liga nesse conteúdo que o grupo de Fortaleza preparou para falar sobre o tema:  

Bioeconomia é um modelo de produção industrial que se baseia no uso de recursos biológicos, com o intuito de oferecer soluções para a sustentabilidade nos sistemas de produção. Esse estilo contribui com o propósito de substituir os recursos fósseis e não renováveis. 

No Brasil, a bioeconomia atua desde a década de 70. Seu desenvolvimento fez com que surgissem novos conhecimentos científicos e tecnológicos, sendo eles: a produção de plásticos biodegradáveis, biopolímeros, biopesticidas, pigmentos, alimentos funcionais e biofortificados, medicamentos, fragrâncias e cosméticos. Nos últimos anos, tem influenciado fortemente nos avanços da biologia sintética e bio produtos. (EMBRAPA, 2021).

O Brasil representa a maior diversidade de fauna e flora do planeta, tendo em vista que o país tem grande potencial para liderar maneiras sustentáveis de gerar renda, comida e promover conservação ambiental. 

Desta forma, é possível investir em um modelo econômico sustentável, considerando os seguintes pontos:

  •  Valorizar as florestas e outros biomas;

 

  • Fazer uso consciente de cada recurso natural;

 

  • Promover a alimentação de comida saudável, livre de veneno;

 

  • Reforçar a segurança nas áreas de preservação;

 

  • Ter responsabilidade socioambiental com a população e respeitar os espaços dos povos tradicionais, indígenas e quilombolas. 

São apenas alguns pontos significativos para restaurar e impor uma economia sustentável que o país e o mundo tanto precisam para se manter em equilíbrio, e NÃO uma economia que apoia o desmatamento e aprova o uso de 493 tipos de agrotóxicos em nossa alimentação.

Estreando um novo tópico por aqui, o grupo de Recife criou o “Inspiraser”, quadro que trará, semanalmente, histórias verídicas e inspiradoras relacionadas ao meio ambiente. Vem ver as primeiras: 

“Já imaginou construir uma casa com garrafas de vidro extraídas do lixo?

NÃO, isso não saiu de um filme ou foi uma ideia hipotética. Este caso foi real e aconteceu aqui, no estado de Pernambuco. 

Mãe e filha começaram a construir a casa de vidro em maio de 2020 e finalizaram no início deste ano. Com cerca de 5 mil garrafas de vidros encontradas nas ruas da Ilha de Itamaracá, esforço e dedicação, elas conseguiram fazer um sonho virar realidade. 

A mãe, Edna, trabalhou mais de 18 anos em uma cooperativa de materiais recicláveis, período em que percebeu a existência de muitos materiais bons e aproveitáveis que eram jogados no lixo. Foi daí que a ideia virou uma grande oportunidade. 

E você, sabia dessa história? Ou conhece alguém que já fez construções com materiais recicláveis, assim como Edna e sua filha Gabrielly? Se sim, compartilha aqui com a gente, será um prazer propagar cada vez mais histórias como essa!”

Bora pra mais uma?

“Já ouviu falar de roupas feitas de restos orgânicos, como de comida e papéis?

É com o intuito de de diminuir os impactos ambientais causados pelas indústria da moda que Pesquisadores da Universidade de Cranfield, no Reino Unido, vêm trabalhando, com parceiros da Universidade de Iorque, para desenvolver uma maneira mais ecológica de fabricar têxteis para roupas: usando biomassa derivada de resíduos agrícolas e domésticos. O estudo de base para o novo processo foi publicado no periódico Industrial Crops and Products.

Já temos, ao redor do mundo, vários exemplos de tecidos criados através de fibras de abacaxi, cascas de laranja, e outros, que são pouco acessíveis. Por isso, ainda há bastante a ser feito e estudado.

A indústria têxtil do futuro fará do desperdício de alimentos sua fonte de matéria-prima, para criar meios inovadores que atendam às necessidades do mercado e para responder às necessidades de sustentabilidade de um planeta cada vez mais degradado.

A consciência ambiental e a ciência trabalhando juntas para um mundo melhor e vivo!”

Chegamos na parte onde a gente vê como os grupos locais conseguem impactar muita gente através da divulgação de campanhas e demandas vindas da Organização. Nossos voluntários e voluntárias, além de compartilhar, sempre dão um jeitinho de adicionar um toque extra aos conteúdos. Vem ver tudo: 

Floresta Sem Cortes - Recife e Goiânia 

O desmatamento continua subindo, mas querem reduzir a verba para o meio ambiente.

É isso que queremos para este ano?

A redução e o bloqueio de orçamento tem sido uma das ferramentas usadas na política anti ambiental da gestão Bolsonaro, com objetivo de reduzir a proteção ambiental no Brasil. Deputados e senadores podem fazer alterações no orçamento proposto pelo governo. De acordo com o Inesc, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2021 prevê cortes ainda mais acentuados, que podem comprometer ainda mais a capacidade do país de combater o desmatamento e as queimadas, enquanto enfrentamos mudanças no clima e aumento da destruição florestal. Apoie a campanha #FlorestaSemCortes e pressione os presidentes da Câmara e Senado pela aprovação de um orçamento robusto, que seja capaz de financiar o combate ao desmatamento e punir severamente os criminosos que agem na Amazônia e em outros biomas: http://act.gp/3t97xiU 

Asas da Emergência - Salvador e Manaus

As doações entregues na última sexta, 26, no Acre, seguiram para a Terra Indígena Camicuã e para famílias indígenas da capital do estado. Com as inundações, muitos territórios enfrentam a falta de água potável e veem suas plantações sendo destruídas, e além da subida das águas somam-se ainda surtos de dengue e uma onda crescente de casos do COVID19. Esse é o atual cenário enfrentado pela população do Acre, tanto em áreas urbanas quanto em regiões mais remotas, onde vivem diversos #PovosIndígenas.

Acompanhem o que está sendo feito pelos povos da região amazônica seguindo a #AsasDaEmergência, doe quanto puder para as entidades que estão trabalhando para minimizar tanto sofrimento, a lista está duas publicações antes dessa, e assista à matéria do Jornal do Acre em https://globoplay.globo.com/v/9307219/.

Mundo Bita - Porto Alegre, Manaus e Goiânia 

“Muitos não sabem, mas os mares são também responsáveis por equilibrar a temperatura da Terra e são fundamentais para a continuidade da vida no planeta. Precisamos seguir falando da importância de conservação dos oceanos e das muitas espécies encontradas por lá como baleias, tartarugas, golfinhos e outros animais”, diz Thiago Almeida, da campanha de Justiça Climática do Greenpeace Brasil.

Vale um destaque para esta que é a personagem principal, a baleia. A espécie é super importante para garantir a saúde dos oceanos, o que faz dela peça-chave no combate às mudanças climáticas. Esses gigantes mamíferos adubam os mares com seu cocô, trazendo muitos nutrientes que alimentam outras espécies e assim contribuem e muito para a riqueza da vida marinha. Vem conhecer mais sobre universo com esse vídeo super fofo e educativo <3

Todos pela Amazônia - Manaus e Goiânia

Sem a Amazônia, os efeitos das mudanças climáticas serão devastadores.

A Amazônia está sendo destruída como nunca se viu antes. O desmatamento agrava a emergência climática com efeitos como ondas de calor extremo e alagamentos nas cidades.

A fumaça das queimadas causa problemas respiratórios nas pessoas da região, que ainda enfrentam a pandemia de Covid-19. Somente no período entre agosto de 2019 a julho de 2020, o desmatamento destruiu uma área equivalente a 7 vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Precisamos de você para salvar a Amazônia.

Agroecologia - Goiânia 

No zum zum zum da capital paulista, a nutricionista Vanessa Alencar sente toda semana o gostinho da roça.

Faz 1 ano que ela resolveu dar um tempo dos supermercados para tentar comprar a maior parte dos seus alimentos diretamente de famílias de agricultores agroecológicos.

Agora ela não quer saber de outra coisa : “faz toda a diferença saber o rosto de quem produz seu alimento, saber de onde vem sua comida”, diz. “Além de contribuir para o meio ambiente e apoiar o pequeno produtor, eu sei que estou trazendo alimento seguro para dentro de casa”.

Pra quem vive nas grandes cidades parece algo tão distante, né!? Mas a Vanessa provou e viu que é mais fácil e barato do que a gente pensa: “As pessoas precisam conhecer, é possível e acessível ter isso na sua casa”.

Se quem indica amigo é, estamos muito bem cercados por amizade. Vem ver o tanto de dica massa que os grupos trouxeram essa semana:

Recife - Documentário "Chasing Ice"

O fotógrafo James Balog distribuiu 300 câmeras pelo Ártico e atravessou três continentes para registrar as mudanças nas geleiras ao longo dos anos. Um dos ápices do filme é o momento em que um pedaço de 7,4 km³ se desprende de uma geleira na Groenlândia. De acordo com o próprio Balog, a experiência foi como assistir à ilha de Manhattan se despedaçando, e revela o maior rompimento de um iceberg já filmado.

O registro já ganhou diversos prêmios, como o de melhor documentário no Big Sky Documentary Film Festival e no SXSW Film Festival.

Tudo isso é um retrato dos graves efeitos do aquecimento global sobre o planeta, e chama atenção para uma civilização que deliberadamente se desenvolve à base de matérias-primas fósseis, não renováveis, cujos resíduos em excesso desequilibram o habitat e colocam em xeque sua própria existência.

Vem ver o trailer aqui :) 

Campina Grande - O que plantar na horta da sua casa 

Cultivar plantas como cebolinha, tomate e manjericão pode ajudar a trazer um pouco de paz nestes tempos de crise, sabia? Então se liga nessa lista de dicas: 

Zona da Mata - Documentário "Trashed– para onde vai o nosso lixo"

No longa, de 2012, Jeremy Irons apresenta um problema global. Em uma praia em Sidon, no Líbano, ele mostra uma montanha de escombros. Lá estão reunidos lixo hospitalar, restos de comida e animais mortos, que representam todo lixo resultante de 30 anos de consumo de apenas uma cidade. A partir daí, ele viaja o mundo debatendo sobre as bilhões de toneladas de lixo que são produzidas todos os dias em todo planeta, focando numa série de paisagens paradisíacas devastadas pela poluição.

Vem ver o trailer :)

E não tem um filme só não, viu? O grupo também deu outra opção para você poder escolher (ou maratonar os dois, né rs): 

O filme "Homem sem impacto", de 2009, retrata a vida do escritor Colin Beavan e sua família, que passou um ano tentando gerar o menor impacto ambiental possível. 

A família adotou uma série de medidas, tais como usar apenas escadas (ao invés de elevadores), não utilizar meios de transportes que causam emissões de CO2, não consumir carne vermelha, utilizar velas, entre outras medidas. 

E pra você que quer se envolver com menos lixo e mais reciclagem, Manaus tem algumas informações e dicas:

- A reciclagem nunca será suficiente para todo o lixo que a gente gera;

- Até hoje, reciclamos cerca de 9% de todo o plástico produzido no mundo (ONU,2018);

- O índice de reciclagem de plástico no Brasil é de 1,28% (W,2019) e o único material que é garantido de reciclarmos é o alumínio (97% são reciclados anualmente, segundo a ABRELPE).

Agora sobre a tendência equivocada de materiais biodegradáveis:

- Não contribuem para a redução do volume de lixo gerado;

- Não provocam mudanças em nosso comportamento de consumo excessivo de embalagens;

- Não têm parâmetros legais claros para qualificar quais materiais podem ser considerados biodegradáveis e, por causa disso, surgem no mercado materiais que misturam componentes que aceleram a degradação junto a derivados de petróleo.

Então como fazer escolhas de consumo conscientes sobre materiais e embalagens?

📍 Priorizando sempre a oportunidade de não gerar nenhum tipo de resíduo, a partir de materiais reutilizáveis, por exemplo;

📍 Ocorrendo a geração de resíduo, priorizar que ele seja de origem 100% orgânica e possa ser degradado em sistema de compostagem - de preferência local na sua residência;

📍 Cobrando do comércio de quem consumimos posturas mais sérias na escolha de embalagens que possam ser reutilizadas ou compostadas;

E vamos de momento MasterChef. Mas, antes de começarmos com as delícias sustentáveis da semana, Recife e João Pessoa te ensinam a montar um prato simples e perfeitinho: 

Ao contrário do que muitos pensam, uma refeição vegana é simples e fácil de ser feita. Preparamos uma lista com sugestões para montar seu prato:

- Legumes, verduras ou hortaliças: cenoura, abobrinha, berinjela, alface e rúcula são algumas opções, use a criatividade e monte uma salada, dando cor a sua refeição; 

- Leguminosas: Grão de bico, ervilha, todos as variedades de feijão e lentilha são ótimas opções e serão a parte proteica do seu prato; 

- Cereais: Arroz, quinoa e milho contém ótimas fibras para compor esse prato;

- Batatas (inglesa ou doce), inhame, macaxeira e cará também entram na lista de acompanhamentos.

Esses são alguns dos exemplos de alimentos que você pode combinar para montar uma refeição equilibrada e com todos os nutrientes necessários!

Agora sim, bora pra cozinha!

Guacamole - Porto Alegre <3

Mix de vegetais com maionese - Porto Alegre <3

 

Peixinho da horta - Goiânia <3

ELES VOLTARAM! Ressurgindo das cinzas, como uma fênix, nossos amados #TBT´s voltaram a aparecer para a dose semanal de saudade. Vem ver:

Belo Horizonte

No dia 21 de Março de 2017, o Grupo de voluntários de BH foi à Escola Estadual Cristiano Machado para falar sobre a campanha “Defenda os Corais da Amazônia”.

A palestra faz parte do Projeto Escola do @greenpeacebrasil, que possui como objetivo levar a mobilização e informações sobre ativismo e meio ambiente e inspirar crianças e jovens a lutar por um mundo melhor. O conteúdo dos encontros é adaptado para alunos de diferentes faixas etárias e objetivos.

Recife

Você já se perguntou qual a importância da Reciclagem? 

O consumo cresce e, junto, cresce a quantidade de lixo gerado. O nosso planeta nunca esteve preparado para tantos resíduos. Por isso a importância de se atentar aos famosos 3 R's: Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

Todo esse movimento começa em casa, observando com mais cuidado. Será que o que está sendo jogado fora não poderia ser utilizado de novo? Ou de outra forma? 

Existe um mundo de possibilidades.

Seguiremos atualizando e apoiando os grupos, afinal, estamos todes juntos nessa :)