Voluntários promovem mobilização em massa pela saída de Ricardo Salles

Luana Leal Greenpeace Brasil • 16 Julho 2020
1 comentário
2 curtidas

Fala galera, tudo bem?

Além da denúncia contra o ministro, os grupos divulgaram petições e projetos locais em defesa do meio ambiente. Vem ver tudo o que rolou:

Destaque da semana, a mobilização contra Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, repercutiu em diversas redes e engajou dezenas de voluntários em todo o país. A manifestação é para que Salles seja afastado do cargo; afinal, o político não chega nem perto de executar seu dever de protetor do ecossistema - pelo contrário, Salles ignora a agenda ambiental e queima a reputação brasileira junto com as florestas. 

Portanto, para expressar indignação perante esse governo antiambiental e pressionar a saída do ministro, os grupos locais produziram fotos com a #TchauSalles, vídeos sarcásticos no TikTok e um tuitaço, contando com a participação de Organizações parceiras, como o EngajaMundo. 

Como prova de que a ação foi um sucesso e gerou alta visibilidade, um dos grupos locais alcançou mais de 10,7 mil impressões no twitter e 10 contas que participaram do tuitaço foram bloqueadas pelo próprio ministro (sinal de sucesso, né?!). No TikTok, um dos vídeos teve mais de 2.400 visualizações. O clima está esquentando, e dessa vez é para o lado de Salles.

Vem ver um pouco do que rolou: 

A volunta Kimberly Silva, de Belém, usou o TikTok para criar vídeos críticos e sarcásticos:

Em Goiânia, os voluntas juntaram as mãos para frear o governo antiambiental: 

Já em Fortaleza e Porto Alegre, a manifestação veio através de dados e explicações: 


 

Porto Alegre - Construção de Porto no Litoral Gaúcho

O Litoral Gaúcho está sendo visado pelas autoridades municipais e estaduais para sediar a construção de um porto. Entretanto, a mesma colocará em risco toda a orla, as dunas, a vegetação e espécies naturais da região. Para tentar impedir o prosseguimento do projeto, os voluntários de Porto Alegre criaram uma petição no Bugio para recolher assinaturas e o apoio do maior número de pessoas possível. 

A sua assinatura pode fazer toda a diferença agora :) 

Fortaleza Pelas Dunas - CE

O grupo continua lutando pela campanha local. Dessa vez, o foco está nas Dunas de Sabiaguaba, que estão sendo destruídas pela prefeitura enquanto a atenção da população está na pandemia. Esse ato, assim como tantos outros que têm sido feitos, ameaçam não só os animais silvestres, como também as vegetações nativas e as próprias dunas milenares. 

Os voluntários têm divulgado diversos conteúdos essenciais e explicativos sobre a conjuntura do caso, como este vídeo e este depoimento. Vale a pena conferir! 

Em apenas um único dia, o grupo conseguiu mais de 17 mil assinaturas! Bacana, né?

Assine a petição você também e ajude a defender essa causa :) 

Distribuição de máscaras - Porto Alegre

O grupo local, em ação conjunta com o coletivo Máscaras Solidárias e o Projeto Capitão V, distribuiu mais de 185 máscaras em comunidades indígenas. A próxima meta dos participantes é chegar até a comunidade Tekoa Koenju, em São Miguel das Missões.

 

11/07 - Yoga e conversa ambiental

Com muita criatividade, o grupo de Brasília uniu duas coisas que não podemos deixar de lado: a calma e a luta pela defesa do meio ambiente. Os voluntários e voluntárias encontraram-se online para uma sessão conjunta de yoga, seguida de uma roda de conversa sobre ativismo ambiental. Também aproveitaram o momento para discutir o planejamento do mês de julho e as próximas mobilizações.

 

12/07 - Treinamento de Comunicações  

Organizado pelo grupo do Leste Paulista, o encontro reuniu os voluntários e voluntárias que demonstraram interesse em entender mais sobre comunicação e engajamento dentro do voluntariado Greenpeace. 

11/07 - Dunas da Sabiaguaba

Para dar mais visibilidade à campanha local e abordar o tema com urgência, o grupo de Fortaleza produziu uma live sobre as Dunas da Sabiaguaba. Para compor a roda de conversa, os voluntas convidaram Hugo Fernandes, biólogo e Doutor em Zoologia e João Alfredo, advogado e professor de Direito Ambiental. A mediação do debate ficou por conta de Gabriel Aguiar, biólogo e membro do Greenpeace Fortaleza e Instituto Verdeluz. 

Tem petição rolando pela proteção das Dunas de Sabiaguaba! Se quiser participar da causa, assine através deste link. :) 

 

14/07 - Papo antinuclear e o caso de Itacuruba (PE)

Você sabia que existe um projeto com a finalidade de construir um complexo de usinas nucleares no sertão de Pernambuco? 

Para explicar sobre o caso e debater sobre as consequências terríveis que essa construção pode desencadear, o grupo de Recife organizou uma live com Tiago Marinho, geógrafo e voluntário do Greenpeace, e Whodson Silva, antropólogo e integrante da articulação Sertão Antinuclear. 

Confira o debate completo clicando aqui. :) 

 

A campanha de #plasticfreejuly ainda tá rolando, e essa semana os voluntários trouxeram mais conteúdos e dicas sobre como reduzir o consumo de plástico no dia a dia. Os grupos falaram sobre ecobags, escova de dente de bambu e até looks sustentáveis! Vem ver: 

Voluntários de Brasília: 

Voluntários de Manaus: 

O grupo de Florianópolis, que está em formação, juntou-se ao Laboratório de Ecologia de Ambientes Recifais da Universidade Federal de Santa Catarina e postou uma sequência de fotos de voluntários, voluntárias e representantes do laboratório utilizando alternativas para os materiais de plástico:

 

As voluntárias de Navegantes também participaram da campanha postando fotos segurando cartazes nas redes: 

Quer saber como diminuir o seu consumo de plástico? Aqui tem 12 dicas :) 

Recentemente, o Projeto Escola, do Greenpeace Brasil, lançou o ciclo 0. Trata-se de um mapeamento com educadores e estudantes do Ensino Fundamental II e Médio de escolas públicas e particulares de todo o Brasil, para a compreensão mais ampla da prática da educação formal no contexto atual de pandemia e suas decorrências. 

Essa pesquisa está sendo feita através de dois formulários, voltados para educadores e estudantes. Os grupos locais, sempre ativos e engajados nos projetos e campanhas da Organização, aproveitaram o espaço das redes sociais para divulgar o mapeamento e os links de acesso para a participação da pesquisa. 

Aproveitando, caso conheça ou seja um estudante ou educador, não deixe de preencher o formulário. Além de ser rápido e simples, nos ajudará a compreender quais os melhores meios para ajudarmos as instituições e estudantes nesse momento. 

Formulário para educadores (voltado para professores, coordenadores, diretores e membros colaboradores da comunidade escolar): https://pesquisa.greenpeace.org.br/338517

Formulário para estudantes: https://pesquisa.greenpeace.org.br/338518

 

12/07 - Dia do engenheiro florestal 

Os voluntas aproveitaram o dia para homenagear os profissionais que estudam sobre o aproveitamento das florestas e a utilização sustentável dos recursos naturais. Os conteúdos, além de explicarem sobre a função de um(a) engenheiro(a) florestal, frisaram a importância da existência dessa profissão para o meio ambiente e a sociedade civil. 

Para entender melhor sobre as consequências negativas que os produtos que compramos podem trazer para o meio ambiente, o grupo de BH indicou a leitura do livro “Inteligência Ecológica”, de Daniel Goleman. 

Segundo o autor, há uma certa negação coletiva em relação aos impactos causados pelos bens e serviços que consumimos. O problema, entretanto, está na falta de informação sobre os efeitos prejudiciais da produção, remessa, empacotamento, distribuição e descarte dos objetos que compramos. 

Goleman ainda faz suposições sobre o futuro da tecnologia e sua relação com o pensamento consumista de nossa sociedade. 

Para quem quiser, aqui tem a versão digital do livro. Vale a pena conferir :) 

Já o grupo de Manaus ensinou o passo a passo para fazer um desodorante natural. É isso mesmo, além de economizar, você evitar emitir substâncias tóxicas presentes em desodorantes convencionais na atmosfera. A receita foi indicada pelo @menos1lixo e replicada pelos voluntas. O cosmético sustentável pode ser produzido com apenas 4 produtos: leite de magnésia, água filtrada, glicerina vegetal e óleo de essência. 

Para conferir a receita completa, acesse este link.

E para você que ainda não sabe o que assistir essa semana, os voluntas de Recife e Belo Horizonte têm recomendações de sobra!

 

“Toxic Garbage Island”

Indicado por Recife, o longa conta sobre uma ilha de lixo localizada no Pacífico. É perfeito pra você que é curioso e quer saber mais sobre o que tem acontecido com o mundo. Pega a pipoca e vem!

Já Belo Horizonte trouxe uma lista com 5 documentários para você escolher: 

  1. Cowspiracy - O segredo da sustentabilidade 
  2. Our Planet - O planeta por outro ângulo
  3. Seremos história? - A ciência é clara, o futuro não
  4. Trashed - Para onde vai nosso lixo?
  5. Chasing Ice - Quais os efeitos do aquecimento global? 

 

Você sabe o que são biovaletas? O grupo do ABC Paulista te explica! 

As biovaletas, conhecidas também como valetas de biorretenção vegetadas, são semelhantes aos jardins de chuva, e normalmente referem-se a depressões lineares em ruas ou estradas, preenchidas com vegetação, solo e demais elementos filtrantes, que processam uma limpeza da água da chuva, aumentando seu tempo de escoamento, dirigindo este para os jardins de chuva ou sistemas convencionais de retenção e detenção das águas. 

Quer saber mais sobre o assunto? Acesse o perfil oficial do grupo e fique por dentro de vários conceitos relacionados ao meio ambiente :) 

E para quem ainda se confunde com Mata Atlântica e Amazônia, o grupo de Salvador veio para explicar tudo:

A área da Mata Atlântica cobre 15% do território nacional e passa por 61% das cidades brasileiras. Hoje, restam apenas 12,4% da floresta que havia originalmente quando os portugueses chegaram ao Brasil, época onde tudo o que se via pelo país era floresta. 

A Mata Atlântica é essencial  para a qualidade de vida dos brasileiros e das populações do resto do mundo. Vários serviços fundamentais, como abastecimento de água, regulação do clima, agricultura, pesca, energia elétrica e turismo, dependem exclusivamente da preservação desse bioma. Além disso, ela concentra 70% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. É um dos biomais mais ricos em diversidade de espécies e mais de 60% dos animais ameaçados de extinção do Brasil estão na Mata Atlântica.

Já a Amazônia, é a maior floresta tropical do mundo, e ocupa boa parte da região Norte do País, além de países vizinhos. É considerada área de maior biodiversidade do planeta e o maior bioma do Brasil. A fauna é extremamente rica e conta com mais de 30 milhões de espécies. A flora da Amazônia é bastante diversificada, constituída por árvores, ervas, arbustos, lianas e trepadeiras. Cerca de 17% do bioma foi devastado nos últimos 50 anos.

Fonte: Bem Paraná

O grupo também divulgou a petição pela integridade da Lei da Mata Atlântica e o projeto Asas da Emergência, que tem atuado na região da Amazônia. 

O grupo de Florianópolis, que está em formação, não deixou a peteca cair e manteve o clima quente pela greve!

Para ajudar você a montar um cardápio saudável e vegetariano, os grupos trouxeram várias receitas saborosas e práticas para o dia a dia: 

Recife - Nuggets de grão de bico e legumes <3

Belém - Bolinho de lentilha <3

Belo Horizonte - Lasanha vegana <3

 

No 1° lugar do pódio dos #TBT´s, o grupo de BH mais uma vez levantou a taça por essa lembrança de agosto de 2019. Junto à AMDA (Agência de Notícias de Direitos Animais) e ao Boi Rosado, projeto de plantio de árvores que defende as florestas, o grupo realizou um protesto na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, contra a destruição e o aumento das queimadas na Amazônia. 

Seguiremos atualizando e apoiando os grupos, afinal, estamos todes juntos nessa :)

O conteúdo também está disponível em nosso blog.