Rodoanel Metropolitano de Belo Horizonte

Larissa Batista Facilitadora de Belo Horizonte • 6 Junho 2021

Esse projeto já está na gaveta do governo estadual há quase 20 anos e tem como justificativa a melhoria do trânsito na região do anel rodoviário, mas por que está voltando a ser debatido agora? O governo de Minas Gerais fechou recentemente um acordo de 37 bilhões de reais com a mineradora Vale S/A, visando a "reparação dos danos causados pela mesma com o rompimento da barragem em Brumadinho, no ano de 2019". Parte do dinheiro será direcionado para a construção do Rodoanel Metropolitano, um projeto que está sendo feito sem nenhum planejamento, sem a presença de profissionais aptos para avaliarem as opções mais adequadas e que visem o mínimo de danos socioambientais, e também sem a participação da sociedade civil.

Basicamente estão planejando usar o dinheiro lucrado com o sangue de inocentes para causar outros danos socioambientais e socioculturais. O rodoanel terá quatro alças: Sul, Sudoeste, Norte e Oeste, passará por Belo Horizonte e mais doze municípios da região metropolitana. Será construído em cima de várias áreas de preservação ambiental, unidades de conservação, sítios arqueológicos, patrimônios culturais, aquíferos, cortará a Serra Dos Três Irmãos na altura da cidade de Ibirité, passando por regiões da Fazenda Jangada e entrando na Serra Da Calçada/Parque Estadual Serra Do Rola Moça, podendo levar a grande perda da fauna e flora locais, afetará também o reservatório de Vargem Das Flores, dificultando assim o abastecimento hidríco das cidades. Causará também um transtorno para a população, sendo que, duzentas famílias da área de Betim e Contagem serão retiradas de suas casas para conclusão das obras.

A obra toda custará R$4,5 bilhões, sendo que R$3,5 bilhões serão retirados do valor pago pela Vale no acordo, e o restante será custeado pelo pedágio que será cobrado pela empresa que terá a concessão da estrada, a previsão é de que a concessão dure 30 anos. A obra está prevista para começar em março de 2023 e terminar em março de 2027, com a entrega da alça Sul. Moradores e ambientalistas da região estão indo atrás de vereadores, prefeitos, secretaria estadual do meio ambiente, e do governador Romeu Zema para tentarem chegar em um melhor planejamento e que cause o mínimo de prejuízos. 🌱

Texto: Larissa Batista